Carí­ssimos,

Mª Júlia B. de Holanda

Resumo


Posso ousar em dizer-lhes que completamos a maturidade de uma gestação, e com isso, estamos prontí­ssimos para nos lançarmos no mundo, nos tornarmos verdadeiramente "seres-sendo".

Encontramo-nos na condição do "está-aí­", de ser definitivamente um "ser-presença-no-mundo". Ser um "ser-sendo", contribuindo para um fazer filosófico, artí­stico e educacional exeqüí­vel e efetivamente democrático capaz de produzir e de formar sujeitos mais autônomos, autênticos, informados e, desse modo, mais humanos.

Como são ingênuas e inautênticas as teorias que adquirimos ao longo da vida, e ainda assim têm uma dimensão tão profunda que podem determinar as experiências de vida, as relações entre as pessoas e os diversos estados de espí­rito que se formam gradativamente no dia-a-dia.

Desse modo, é importante questionar se para a filosofia cabe a atuação clí­nica, ou seja, é importante avaliar se a filosofia clí­nica tem autonomia argumentativa suficiente para o seu exercí­cio. Toda essa força determinadora está condicionada a nossa dimensão filosófica. Pois deriva do ambiente social ao qual cada um é formado e está inserido, e outras são adquiridas por meio da experiência e da reflexão pessoal.

Percebe-se que tudo que acontece no universo tem a sua interferência sócio-cultural. Quem poderia supor que haverí­amos de mudar nossas relações pessoais presenciais por relações proporcionadas por meio da tecnologia da informação e da comunicação, como "a comunicação sem fronteiras" como acontece no Ambiente Virtual?

Destarte, é possí­vel um pensar voltado o conceito de temporalidade no que concerne ao Ambiente Virtual, ao qual estamos situados. E desse ambiente cria-se uma estrutura para o desenvolvimento da produtividade informacional, por meio dos mecanismos tecnológicos. A partir desse aí­, as possibilidades tornam-se multiplicáveis, pois em tempo real produz-se informação, apropria-se de conhecimentos, criam-se ví­nculos, etc. Torna-se possí­vel outro tipo de relação humana, a relação humana virtual. Pois mesmo sendo virtual tal relação, jamais deixará de ser humana, haja vista que tornou-se ferramenta imprescindí­vel na produção do conhecimento humano – em todo seu contexto.

Para muitos, essas idéias remete-os ao terror, mas, são apenas experiências que vão selar o laço que une pessoa a pessoa, independente de espaço e de tempo, da presença-ausente e da ausência-presente, e quiçá, eliminar assim a visão de mundo tão pequena que ainda existe em cada um.

Sempre deixo aqui neste espaço algumas reflexões como um breve enunciado do que a Revista lhes oferece em cada Edição. Guardo também a esperança de um despertar consciente e autônomo.

Então, seja um "ser-presença-no-mundo"!

Boa leitura!

Júlia de Holanda



Direitos autorais

Portal Eletrônico: Revista Filosofia Capital _________________________________________________________________________________________________________________ Licença Creative Commons
FILOSOFIA CAPITAL de REVISTA FILOSOFIA CAPITAL está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em www.filosofiacapital.org/. _________________________________________________________________________________________________________________________ Copyright 2006. Revista Filosofia Capital-RFC ISSN 1982-6613 Brasí­lia-DF. Todos os direitos reservados.