O PRINCÍPIO DA AFETIVIDADE: A FAMÍLIA HOMOAFETIVA

Mª Julia B. de Holanda

Resumo


Deseja-se que este artigo seja mais um deflagrador de ponderações que suscitem discussões acerca da temática exposta. Temática esta que aborda a instituição, e porque não a constituição familiar, a partir de um novo contexto que açambarca as famílias do Brasil e do Mundo. É consenso entre os estudiosos sobre a adoção homoafetiva que não passa de atitudes preconceituosas de consciências dotadas de excessivo sentido moral. Tais consciências colocam à margem casais homossexuais que poderiam ser e ter a oportunidade de grande número de crianças e adolescentes necessitados da convivência familiar. Por isso, urge revolver princípios, rever valores e abrir espaços para novas discussões.

Palavras-chave


Adoção. Moral. Homossexuais. Convivência familiar.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2016 Revista Filosofia Capital - ISSN 1982-6613

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Portal Eletrônico: Revista Filosofia Capital _________________________________________________________________________________________________________________ Licença Creative Commons
FILOSOFIA CAPITAL de REVISTA FILOSOFIA CAPITAL está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em www.filosofiacapital.org/. _________________________________________________________________________________________________________________________ Copyright 2006. Revista Filosofia Capital-RFC ISSN 1982-6613 Brasí­lia-DF. Todos os direitos reservados.