NIETZSCHE E A DISTINÇÃO ENTRE APOLíNEO E DIONISíACO

Moura Tolledo

Resumo


Há um princí­pio de dualidade estabelecida por Nietzsche que é o Dionisí­aco. Este ultrapassa o mundo do sofrimento pelo mergulho à unidade do próprio universo, uma experiência mí­stica, levando ao inconsciente. Dioní­sio é o Deus do Vinho, liga-se a música e a arte não-figurada. A experiência Dionisí­aca rompe com o princí­pio de individualização – Apolo. É a perda de si mesmo, de sua individualização, e essa idéia de perda de si nos remete à de terror. Essa experiência vai selar o laço que une pessoa a pessoa, eliminando todas as diferentes individualizações.

Palavras-Chave: Nietzsche – Dioní­sio – Apolo – Individualizações

Palavras-chave


Estudo de Gênero

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Portal Eletrônico: Revista Filosofia Capital _________________________________________________________________________________________________________________ Licença Creative Commons
FILOSOFIA CAPITAL de REVISTA FILOSOFIA CAPITAL está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em www.filosofiacapital.org/. _________________________________________________________________________________________________________________________ Copyright 2006. Revista Filosofia Capital-RFC ISSN 1982-6613 Brasí­lia-DF. Todos os direitos reservados.