A INFLUÊNCIA DAS MÍDIAS SOCIAIS NO CONSUMO DE ALIMENTOS ULTRAPROCESSADOS: CONFECÇÃO DE CARTILHA EDUCATIVA PARA ADOLESCENTES

Autores

  • Islaine Barros Pinheiro
  • Ângela Tâmara Souza Barroqueiro

DOI:

https://doi.org/10.51497/rfc.v20n26-002

Palavras-chave:

Adolescência, Ultraprocessados, Educação Alimentar Nutricional, Mídias Sociais, Consumo Alimentar

Resumo

Introdução: A adolescência é um período de vulnerabilidade marcado pelas influências no estilo de vida e aspectos comportamentais. Nessa fase os hábitos alimentares e estilo de vida inadequados repercutem ao longo da vida se transformando em fatores de risco para Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT). Objetivo: Confecção de um material didático em forma de cartilha educativa sobre alimentação adequada e saudável para adolescentes. Material e métodos: Trata-se de um estudo metodológico com elaboração de cartilha nutricional, ocorreu entre os meses de fevereiro e maio de 2024, e tem como público-alvo adolescentes entre 12 a 17 anos, foi desenvolvido no Núcleo de Alimentação e Nutrição no laboratório de avaliação nutricional situado na Universidade CEUMA, foram utilizados os programas CanvaPro e Google imagens, para criação do layout, diagramação e ilustrações. Resultados: Diante do cenário crescente das redes sociais e do seu uso pelo marketing de alimentos ultraprocessados que influenciam os jovens a consumirem estes produtos de maneira excessiva, contribuindo para o desenvolvimento de doenças crônicas na adolescência e/ou vida adulta foi elaborada uma cartilha educativa no tamanho 29,7 x 21 cm, fonte open dyslexic, contendo 33 páginas, sendo 10 destinadas a conteúdo visual, com explicações sobre a alimentação saudável, como escolher os alimentos, montar pratos coloridos e nutritivos, receitas saudáveis, dicas de saúde e tabela de pontuação com metas diárias. Conclusão: Portanto, a criação de uma cartilha sobre alimentação saudável na adolescência é de suma importância para estimular a autonomia alimentar e conscientizar os adolescentes sobre a importância da alimentação adequada, minimizando assim o impacto da influência das mídias sociais na alimentação deles. Estratégias de EAN tornam-se um instrumento de prevenção e promoção de saúde, trazendo conhecimento sobre alimentação saudável e escolhas alimentares.

Referências

AQUINO, S.M.C. et al. Construção de cartilha virtual para o cuidado em saúde mental em tempos de COVID-19: relato de experiência. Enfermagem em foco (Brasília), p. 174- 178, 2020.

ARAUJO, E.N.P; DUARTE, A. R.N. Cartilha educativa sobre cuidados alimentares para crianças com transtorno do espectro autista. Centro Universitário Fametro. Tese de Doutorado, 2023.

ARBACHE, F.A.N. et al. A associação entre o consumo de alimentos ultraprocessados e a incidência/prevalência de doenças crônicas não transmissíveis na sociedade atual. Universidade de São Paulo. Tese de Doutorado, 2020.

BACKES, Dirce Stein et al. Elaboração de cartilha educativa: orientações para a gestação, parto e puerpério. Revista Pesquisa Qualitativa, v. 12, n. 29, p. 61-77, 2024.

BESERRA, J.B. et al. Crianças e adolescentes que consomem alimentos ultraprocessados possuem pior perfil lipídico? Uma revisão sistemática. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, p. 4979-4989, 2020.

BRAGA, M.Z. et al. A influência da mídia na alimentação infanto-juvenil. Revista de Trabalhos Acadêmicos-Universo Belo Horizonte, v. 1, n. 5, 2022.

BRASIL. Guia alimentar para a população brasileira. Brasília: Ministério da Saúde, 2. ed, 2014.

BRASIL- Análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018 – POF, 2020.

CRUZ, R.M.F. et al. Reflexos da mídia na formação de hábitos alimentares de crianças e adolescentes – uma revisão bibliográfica. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, v. 10, n. 14, pág. e224101421797-e224101421797, 2021.

GIESTA, J. M. et al. Fatores associados à introdução precoce de alimentos ultraprocessados na alimentação de crianças menores de dois anos. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, p. 2387-2397, 2019.

GONÇALVES, M. DE S. et al. Construção e validação de cartilha educativa para promoção da alimentação saudável entre pacientes diabéticos. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 32, p. 1–9, 4 jul. 2019.

LACERDA, A.T. et al. Participação de alimentos ultraprocessados na dieta de escolares brasileiros e seus fatores associados. Revista Paulista de Pediatria, v. 38, 2020.

LANDIM, L.A.S.R. et al. Avaliação nutricional, consumo alimentar e frequência de ultraprocessados em escolares da rede pública. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 12, n. 5, p. e2427-e2427, 2020.

MAIA, E.P. et al. Padrões alimentares, características sociodemográficas e comportamentais entre adolescentes brasileiros. Revista Brasileira de Epidemiologia. 21(Suppl 1): e180009, 2018.

PEREIRA, T. R ; MOREIRA, B. ; NUNES, R. M. A importância da educação alimentar e nutricional para alunos de séries iniciais. Lynx, v. 1, n. 1, 2020.

PEREIRA, A.N. Influência dos meios de comunicação no comportamento alimentar de crianças e adolescentes: uma revisão/Influence of the media on the eating behavior of children and adolescents: a review. Brazilian Journal of Health Review, v. 4, n. 4, p. 16750-16755, 2021.

SANTOS, D.S. et al. Transição nutricional na adolescência: uma abordagem dos últimos 10 anos. Revista Eletrônica Acervo Saúde, n. 20, p. e477-e477, 2019.

SOUSA, B.C. de et al. Hábitos alimentares de adolescentes quilombolas e não quilombolas da zona rural do semiárido baiano. Ciência & Saúde Coletiva [online]. v. 24, n. 2, p. 419-430, 2019.

SOUSA, R.J.A et al. Produção da cartilha “Doutô, meu filho só come besteira!” para orientação sobre o excesso de peso na adolescência: Booklet production “Doc, my son just eats junk food!” to the adolescence overweight orientation. Health and Biosciences, v. 2, n. 1, p. 83-97, 2021.

Downloads

Publicado

2024-06-05

Como Citar

Pinheiro, I. B., & Barroqueiro, Ângela T. S. (2024). A INFLUÊNCIA DAS MÍDIAS SOCIAIS NO CONSUMO DE ALIMENTOS ULTRAPROCESSADOS: CONFECÇÃO DE CARTILHA EDUCATIVA PARA ADOLESCENTES. Revista Filosofia Capital - ISSN 1982-6613, 20(26), e518. https://doi.org/10.51497/rfc.v20n26-002

Edição

Seção

Artigos