BACON E A INDUÇÃO POR SUBTRAÇÃO COMO NOVO MÉTODO INDUTIVO NA FUNDAÇÃO DO EMPIRISMO MODERNO

Luiz Carlos Mariano da Rosa

Resumo


Defendendo a união entre a razão e a experiência como a possibilidade de instauração do desenvolvimento científico, Bacon se contrapõe à indução aristotélica enquanto procedimento que implica a enumeração de casos particulares tendo em vista o objetivo de encontrar o geral existente em todos e em cada um deles em um processo que se detém na soma de fatos, limitando-se à comunicação, na medida em que não tem capacidade de empreender a descoberta do conhecimento. Dessa forma, sobrepondo-se ao acúmulo de fatos sem método, Bacon institui a indução por subtração enquanto processo baseado na eliminação sistemática de experiências inconclusivas, que converge para atribuir valor às experiências negativas e impede as generalizações prematuras, instaurando o experimento enquanto experiência guiada e disciplinada pelo intelecto na fundação do empirismo moderno.

Palavras-chave


Bacon. Empirismo. Indução. Epistemologia. Método.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2020 Revista Filosofia Capital - ISSN 1982-6613

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Portal Eletrônico: Revista Filosofia Capital _________________________________________________________________________________________________________________ Licença Creative Commons
FILOSOFIA CAPITAL de REVISTA FILOSOFIA CAPITAL está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em www.filosofiacapital.org/. _________________________________________________________________________________________________________________________ Copyright 2006. Revista Filosofia Capital-RFC ISSN 1982-6613 Brasí­lia-DF. Todos os direitos reservados.